O Deputado Igor Kannário, pede Urgência, no projeto de lei a favor do entretenimento.

 O Deputado Igor Kannário, pede Urgência, no projeto de lei a favor do entretenimento.
Compartilha

Na manhã desta segunda-feira (12/01), o cantor e deputado federal Igor Kannário (Democratas), colocou lenha na fogueira, envolvendo a pauta do retorno do entretenimento durante a pandemia da Covid-19. Um dia antes, o secretário de Turismo da Bahia, Fausto Franco,  diz, não enxergar possibilidade de realização de festejos tradicionais na Bahia, exemplos como, São João e o Carnaval. Em 2021, O secretário foi criticado pelo Presidente da Associação Brasileira de Produtores de Eventos na Bahia (Abrape-BA), o empresário Marcelo Britto. Igor, defendeu a votação em regime de urgência do projeto de lei (PL 5638/2020) que cria o Programa Emergencial de Recuperação do Setor de Eventos (PERSE). A situação deste setor é grave e deve ter maior atenção do poder público. “Os problemas vão muito além dos empresários e empreendedores, que foram afetados. Estamos falando de um setor que gera milhões de empregos, diretos e indiretos, pelo Brasil e que movimenta a economia. São pais e mães de família que estão sem condições de sustentar suas famílias”.

O programa aborda temas como a concessão de crédito, ações voltadas para preservação de empregos, financiamento de tributos e desoneração fiscal para o setor de eventos. Kannário alertou que estas medidas serão fundamentais para que este grupo consiga, mesmo com as dificuldades, superar o momento.

“Embora a gente tenha um avanço no sentido da vacina, provavelmente ainda teremos um ano de 2021 muito difícil para o setor de eventos, uma vez que uma imunização em massa da população brasileira não deve ocorrer no curto prazo. Então, é preciso que este socorro seja dado para preservar empregos e garantir que o setor de eventos possa enfrentar esta crise e retomar quando for seguro”, defendeu.

O projeto é de autoria do deputado federal Felipe Carreras (PSB-PE), o mesmo que debateu nas redes sociais com a cantora Anitta, em maio do ano passado, por ter proposto uma emenda na Medida Provisória 948/20 que afetaria os compositores. A MP trata dos prejuízos nos setores de cultura e turismo em função da pandemia.

*Todos os comentários são de responsabilidade dos seus autores